Parede impressa em 3D reduz a poluição no mar

Volvo desenvolve parede impressa em 3D para abrigar espécies marinhas e filtrar a água da costa australiana.

O ser humano enche a natureza de dejetos de tal forma que o ambiente, sozinho, não dá conta de se livrar do lixo. Então, nada mais justo que nossa própria espécie encontre formas de ajudar na limpeza. A empresa automobilística Volvo, assim, faz essa preza. E acelerando em um território que nada tem a ver com ruas ou estradas. Desta vez, a montadora instalou uma parede impressa em 3D que filtra a água do mar na costa da Austrália.

O projeto The Living Seawall (paredão marinho vivo) foi concebido em parceria com o Instituto de Ciências Marinhas de Sydney e o escritório Reef Design Lab, especializado nesse tipo de estrutura.

A parede é composta por 50 ladrilhos feitos de concreto próprio para o ambiente marinho e revestidos de fibras de plástico reciclado.

A parede impressa em 3D da Volvo servirá como habitat para espécies marinhas; crédito: Reprodução/Volvo
Aliás, muito da eficiência esperada do aparato se deve mesmo ao seu design.

Ele imita raízes de mangue. Assim, proporciona as fendas que os organismos marinhos necessitam para constituir colônias.

E são essas colônias de seres vivos que vão agir como filtros naturais para os poluentes do mar. A parede impressa em 3D será monitorada por pesquisadores durante os próximos 20 anos; crédito: Reprodução/Volvo
Durante 20 anos, pesquisadores vão monitorar a qualidade da água e o nível de biodiversidade no local de ação da parede impressa em 3D.

Crédito da imagem: 3dprint.com
→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.

Você também pode querer ler