Onda de calor no Japão está relacionada ao aquecimento global

O calor escaldante que toma conta da Europa não é um evento isolado. Outros países do hemisfério norte também estão passando pelo mesmo problema. O Japão, que chegou a 41,1 ° C em julho do ano passado (matando mais de mil pessoas) deve bater um novo recorde. Coincidência? Nem um pouco. Estes casos estão diretamente relacionados ao aquecimento global.

Um artigo de pesquisadores japoneses descobriu que a onda de calor não seria possível sem as mudanças climáticas. Comparando o clima de hoje com o que seria sem a influência humana, descobriram a  possibilidade quase nula de as temperaturas elevadas ocorrerem sem o aquecimento global.  Mudanças climáticas estão tornando mais intenso um evento que seria ocasional. Estudos mostram que as ondas de calor tendem a se tornar mais fortes e mais frequentes.

O planeta está hoje 1 grau mais quente do que cem anos atrás. Isso é causado pela emissão de gases de efeito estufa na atmosfera – que, por sua vez, não está conseguindo se livrar deste acúmulo de gases. A maior contribuição humana para o aquecimento global é a emissão de gases como o dióxido de carbono, metano e óxido nitroso.

E não para por aí. Além de aumentar as temperaturas, o aquecimento global pode ter outros efeitos, como a elevação do nível dos oceanos, ondas de frio e tempestades mais frequentes e mais fortes. Descobertas recentes da Universidade de Copenhagen apontam que em um futuro não muito distante, teremos que lidar com uma Terra mais quente, com situações de descontrole e perigo para muitos.

Fonte: Neomondo
→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.

Você também pode querer ler