Educação pode ser ferramenta no combate a fake news

Conferência discute importância da educação na formação de cidadania e no combate às notícias falsas

A educação de crianças e adolescentes para interpretação de texto e consumo midiático pode ser uma das ferramentas para ajudar a reduzir a difusão de notícias falsas (fake news). Essa foi uma das conclusões do debate sobre o tema A Importância da Educação Midiática na formação da cidadania e no combate às notícias falsas, durante a 12ª Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão, realizada no dia 8 e maio, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O evento discutiu formas como a Educação evitar o crescimento do impacto das notícias falsas.

Um dos desafios discutidos na conferência é como a educação pode auxiliar no desenvolvimento das habilidades de interpretação de crianças e adolescentes para assimilar com senso crítico o conteúdo das informações que recebem, sobretudo no ambiente das redes sociais. Para a presidente do Instituto Palavra Aberta, Patrícia Blanco, a Educação Midiática é fundamental para que o cidadão tenha discernimento e liberdade, em um contexto no qual notícias falsas se reproduzem facilmente. O Instituto, inclusive, defende que a Educação Midiática faça parte das competências exigidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

De acordo com dados da Avaliação Nacional da Alfabetização de 2016, 54,73% das crianças, de oito anos das escolas públicas no Brasil, apresentam deficiência de leitura. Por isso, o deputado Mendonça Filho (DEM–PE), ex-ministro da Educação, enfatiza o papel da Educação Básica na formação do senso crítico, que permite avaliar se determinada informação deve ser multiplicada. Esta questão é fundamental no combate às chamadas fake news.

No contexto das eleições, o problema das notícias falsas é ainda mais preocupante. Na opinião do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Bastide Horbach, o debate sobre difusão de notícias falsas é recorrente, mas ganhou velocidade e maiores proporções com as redes sociais.

O ministro mencionou ações de educação do eleitor desenvolvidas há mais de 20 anos pelo TSE em parceria com escolas. Além disso, nas últimas eleições, por exemplo, diversos provedores de internet foram notificados para remover conteúdo referente a notícias falsas.

A importância do trabalho da imprensa no combate às fake news foi um dos destaques da fala da senadora Ana Amélia (PP-RS). Para ela, a credibilidade dos veículos de comunicação ainda é fundamental para referendar a qualidade das informações divulgadas.

Fonte: Agência Brasil

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.

Você também pode querer ler