Copérdia investe em energia solar no Brasil

Cooperativa em Santa Catarina investe R$8 milhões em mini usina de energia solar

Um investimento de R$8,3 milhões está sendo realizado para construir a maior usina de energia solar fotovoltaica para o agronegócio em Santa Catarina. Os investimentos financeiros nesta usina de energia solar são uma iniciativa da Copérdia (Cooperativa de Produção de Consumo Concórdia) em parceria com a ENGIE, e a unidade terá capacidade de gerar 2,06 MW.

90% das unidades consumidoras – que tem cerca de 17 mil associados – serão abrangidas pela energia da Copérdia com esta nova mini usina. Estima-se que a cooperativa vá reduzir em mais de um milhão sua conta de energia elétrica anual usando a energia solar.

Apesar de um prazo de retorno de mais de sete anos e de um custo de investimento inicial considerável, Valdemar Bordignon, presidente da Copérdia, lembra que a vida útil da mini usina é longa e com baixo custo de manutenção, além de ser uma energia limpa: “O investimento em uma usina de energia solar se justifica pela demanda que a cooperativa tem de energia”.

A energia solar fotovoltaica no Brasil deve, nos próximos 8 anos, crescer cerca de quarenta vezes – isso de acordo com o Plano Decenal de expansão de Energia do Ministério de Minas e Energia. Isso significa que até 2026, 770 mil brasileiros passarão a gerar sua própria energia dessa forma, em sistemas parecidos com este.

De acordo com os números da ENGIE, o Brasil tem atualmente cerca de 24 mil sistemas fotovoltaicos, mas como eles crescem a taxas de 263% anualmente este número está constantemente em crescimento – e uma parcela considerável desses sistemas se encontra nos campos.

Existem linhas de financiamento específicas para a concessão de crédito a produtores rurais que querem implementar energias renováveis no campo. O projeto da Copérdia, financiado pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), está alinhado com o programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis – BRDE PCS, que prioriza essa concessão para iniciativas ambientalmente responsáveis.

Fonte: Revista Globo Rural

→ Os temas publicados neste blog são de curadoria do presidente e CEO da GranBio, Bernardo Gradin.

Você também pode querer ler